Vitrectomia Posterior

Vitrectomia Posterior

O vítreo é um fluido gelatinoso e transparente que preenche a maior parte do interior do globo ocular e que permite manter a forma do olho. Está em contato direto com a retina, podendo causar alterações retinianas, com consequente baixa de visão. A VITRECTOMIA POSTERIOR é um procedimento cirúrgico (operação) que tem como objetivo a remoção de parte ou da totalidade do humor vítreo do olho (que é o causador da doença em questão).

A operação é feita através de três ou quatro micro incisões que permitem a utilização de instrumentos microcirúrgicos (fontes de iluminação, vitreófago, pinças, tesouras, endolaser, pontas de laser e sondas).

Para cirurgia avançada da retina, utilizamos um novo conceito de cirurgia, com instrumentais cirúrgicos de pequeno diâmetro, como o sistema de 25 gauge (cerca de 0,55 mm de diâmetro) ou 23 gauge (aproximadamente 0,65 mm de diâmetro). 
Esses sistemas permitem realizar uma cirurgia vitreorretiniana através de um acesso transconjuntival, sem necessidade da abertura da conjuntiva e de sutura ao final da cirurgia.

INDICAÇÕES DE CIRURGIA DE VITRECTOMIA POSTERIOR:

  • Retinopatia Diabética Grave;
  • Hemorragia Vítrea;
  • Descolamento de Retina;
  • Inflamação Vítrea (Vitreíte);
  • Infecção Intraocular (Endoftalmite);
  • Corpo Estranho Intraocular;
  • Complicações de Cirurgia de Catarata;
  • Doenças da Mácula (buraco macular / membrana epirretiniana).

ORIENTAÇÕES AO PACIENTE:

  • A cirurgia de vitrectomia posterior é realizada em centro cirúrgico, sob anestesia local (peri-ocular) associada a sedação ou anestesia geral (dependendo da gravidade do caso). Portanto o paciente deverá ficar em jejum conforme orientação do médico anestesista;
  • A duração do procedimento cirúrgico pode variar conforme o caso (geralmente de 1 hora e 30 min até 4 horas);
  • Geralmente o vítreo é substituído por um gás ou óleo de silicone intraocular e o paciente poderá precisar ficar em “posição de cabeça” no pós-operatório estabelecida pelo médico cirurgião;
  • Geralmente não há necessidade de internação do paciente, recebendo alta no mesmo dia;
  • A recuperação da visão é lenta e gradual após a cirurgia;
  • Repouso é essencial para um bom resultado pós-operatório.
17 de agosto de 2015