Cirurgia de Catarata

Cirurgia de Catarata

A CATARATA consiste na perda da transparência de uma lente natural do olho chamada cristalino, a qual fica atrás da íris (região colorida dos olhos). Essa opacidade do cristalino acaba afetando o modo como a luz e as imagens formam-se na retina, causando embaçamento visual progressivo, perda da nitidez de cores, visão dupla e piora da visão com luminosidade. É considerada a maior causa de cegueira tratável no mundo.

CAUSAS

Ocorre na maior parte das vezes por processo de envelhecimento, geralmente iniciando acima dos 60 anos. Porém, doenças como diabetes, uso de corticoides sistêmicos, traumas e inflamações graves dos olhos, podem antecipar o aparecimento dessa doença.  Há ainda casos de CATARATA congênita, estas quais devem geralmente ser operadas o mais breve possível.

DIAGNÓSTICO

Com um exame oftalmológico de rotina completo pode-se identificar a CATARATA.

TRATAMENTO

O único tratamento eficaz para a CATARATA é cirúrgico.  Não há colírios ou medicamentos que curem essa patologia. O momento propício para a cirurgia depende do comprometimento e desconforto que a baixa visão esteja causando ao indivíduo, devendo ser conversado e discutido com o médico oftalmologista o momento correto para sua realização.

O procedimento mais moderno, atualmente, chamado FACOEMULSIFICAÇÃO, que consiste na fragmentação e remoção da catarata e na sua substituição por uma lente artificial, usando graças ao moderno Baush-Lomb StellarisPC, microincisões de 2,2mm, podendo muitas vezes corrigir erros refrativos (grau dos olhos), diminuindo a dependência de óculos no pós-operatório com a colocação de lentes intraoculares trifocais. Anestesia usada é tópica (por colírio) sendo dispensável a internação e, na maior parte das vezes, o uso de tampões oclusivos.

17 de agosto de 2015